Destaques

Título SNS em destaque no Terra Justa
56120125_2111055595608558_8759642695623770112_n
Data de Publicação 2019-04-05 00:00:00 +0100
Sub-título
Descrição

O terceiro dia do Terra Justa é dedicado ao Serviço Nacional de Saúde. O pai do SNS, António Arnaut, é homenageado, a título póstumo, através de várias atividades que decorrem durante todo o dia. A homenagem do Terra Justa estende-se também a António Manuel Arnaut, falecido na passada quarta-feira, pela dedicação e empenho constante com que trabalhou com o Município na homenagem ao seu pai. Francisco George é também distinguido, hoje, pela entrega de uma vida ao Serviço Nacional de Saúde.

A manhã começou no Café Shake, com Carlos Nunes, Presidente da ARS Norte, Henrique Botelho, Coordenador para Reforma Cuidados de Saúde Primários, e Raul Cunha, Presidente da Câmara Municipal de Fafe e também médico, a participar numa conversa debruçada sobre as “USF como factor de inovação no SNS.” Na ocasião, os intervenientes destacaram o concelho de Fafe como um bom exemplo, referindo ainda a evolução positiva dos cuidados de saúde primários no concelho.

Francisco George, Diretor-Geral da Saúde entre 2005 e 2017, depositou, no Mural das Causas, a sua mensagem que revelou conter 'três grandes questões sobre o futuro que espera que daqui por alguns anos tenham já uma resposta." Lida daqui a 25 anos, esta mensagem perpetua a esperança no futuro, e junta-se às ‘vozes’ de António Guterres, Maria de Jesus Barroso Soares, Cardeal Oscar Maradiaga e tantos outros convidados homenageados, em Fafe, nos últimos anos.
Também Ana Paula Arnaut, filha de António Arnaut, deixou no Mural das Causas um texto do 'Pai do SNS', a figura maior na promoção dos cuidados globais de saúde.

António Arnaut e Francisco George – Duas figuras marcantes do SNS” , o nome da Exposição inaugurada, hoje, no Arquivo Municipal, que retrata a vida dedicada e empenhada destes dois homens na busca de melhores condições e serviços de saúde para os portugueses.
Francisco George, José Martins Nunes e o jornalista Pedro Pinheiro debateram, no Café Shake, quais as consequências para o país sem o Serviço Nacional de Saúde. Recorde-se que na esteira do «Despacho Arnaut» e graças a esta figura maior, determinada e comprometida com fortes princípios éticos e de justiça, foi publicada, em Diário da República, a 15 de setembro, a Lei n.º 56/79, que criou o Serviço Nacional de Saúde, concretizando o direito à proteção da saúde, a prestação de cuidados globais de saúde e o acesso a todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica e social.

O Teatro-Cinema acolheu a Homenagem a Francisco George (anterior Diretor Geral de Saúde) e António Arnaut, (‘Pai’ do SNS) pelo trabalho constante, o empenho e a inteira dedicação na promoção dos cuidados de saúde à população portuguesa.
Um momento que contou com a participação de Henrique Pereira (Diretor da Escola Superior de Oliveira de Azeméis CVP), Fernanda Rodrigues (Presidente Delegação do Porto da CVP), José Manuel Pureza (Professor Universitário e Deputado), José Martins Nunes (Ex-Secretário de Estado da Saúde), Ana Paula Arnaut (filha de António Arnaut) e Joaquim Franco.

Também a memória de António Manuel Arnaut, falecido recentemente, foi evocada. Raul Cunha lembrou- o como "um cidadão livre, com um incondicional apreço pela democracia. Agradecer a sua militância em causas e valores e mostrar aqui a enorme gratidão pela forma próxima e como nos apoio neste evento."

Francisco George não escondeu o «orgulho» e a «felicidade» de ver o seu trabalho reconhecido em Fafe, mas preferiu destacar que «sempre desempenhei em exclusividade funções públicas e cumpri sempre o dever». «Reconheço e tenho que dizer que é uma satisfação», considerou, mas acrescentando que «fica sempre muito por fazer. A Saúde Pública visa sempre prolongar a vida dos cidadãos e para isso é preciso mostrar quais são os riscos e demonstrá-los.”

 

Documentos
Imagens
Powered by: TextoVirtual.com